Nesse post você vai entender: Se tem um problema ou não sobre o sono do seu bebê e o que fazer sobre isso.

Seja o que for que está acontecendo. Eu quero te ajudar a decidir se é realmente algo para se preocupar ou não. Afinal de contas, somos nós pais e mães que conhecemos melhor nossos pequenos.

O bebê só tem um problema de sono se isso está comprometendo a saúde, bem-estar ou felicidade de qualquer pessoa da sua família e do próprio bebê, claro!

Se o seu bebê está feliz, saudável, progredindo (lembra que o progresso não é linear!) e você está feliz com a forma como as coisas estão acontecendo, não tem porque mudar nada!

Eu sei que deve ter uns mil palpiteiros por metro quadrado dentro da sua casa, mas você é quem decide o que é um problema ou não.

 

Mas se por acaso você:

  • Está se sentindo estressada e exausta de colocar seu bebê para dormir;
  • Não está mais aproveitando o tempo com o bebê de tão cansada;
  • Está começando a ter pensamentos negativos sobre seu bebê, como vontade de abandonar, chacoalhar ou gritar com seu bebê (deixe o julgamento e culpa de lado! Isso é uma situação super séria. A falta de sono + o stress de ouvir o bebê chorando por muito tempo, não é a melhor combinação. Principalmente no pós parto.
  • Sente que não tem nenhum tempo, energia ou paciência com seus outros filhos;
  • Se sente sempre a beira de um ataque de nervos porque seu bebê exige demais a sua atenção dia após dia…
  • Seu bebê só dorme depois de muito cansado mesmo (choro, irritação, luta… você sabe!);
  • Seu casamento está sofrendo pelo stress da privação de sono (brigas por nada, alguém aí?!);

Você disse sim? Gritou um sim? Sussurrou um sim para um ou todos?! Então um problema existe.

Se você, ou seu bebê ou outro membro da sua família está sofrendo pelo padrão de sono do seu bebê, então é hora de algumas mudanças minha amiga! E você não está sozinha.

 

As dificuldades mais comuns entre os pais e mães durante a consultoria são:

  • É muito difícil do bebê adormecer;
  • Sonecas muito curtas (menos de 30 minutos) ou não tem sonecas;
  • Acorda muitas vezes de madrugada e precisa de ajuda para voltar a dormir;
  • Bebê fica acordado até tarde (depois das 8h);
  • Bebê acorda super cedo (antes das 6h) pronto para dar bom dia;
  • Bebê acorda de noite querendo brincar e fica horas acordado;

 

Principais causas?

  • Saúde: acredite se quiser esse é a minoria. Quando o sono fica prejudicado e o bebê é diagnosticado com algum problema de saúde.
  • Salto de Desenvolvimento: quando dizem pra você que a dificuldade é normal. Eles querem dizer que vai passar já que a razão é o desenvolvimento natural do bebê.
  • Comportamental: a maioria gritante de todas as dificuldades no sono do bebê! É a resposta do bebê às práticas e cuidados do pai e da mãe. Em particular a alimentação e formas de acalmar o bebê. O ambiente conta muito também: quando muda demais o local que o bebê vai adormecer ou algum fator no ambiente causa desconforto (barulho, calor, frio, sombras e a lista segue…).

 

Já que a causa comportamental é a maioria, vamos mais a fundo:

As 3 principais causas desse comportamento que dificulta o sono do bebê são:

  1. Sinais de cansaço ignorados ou não são percebidos a tempo. E eu não julgo você. As vezes a gente não percebe ou tudo acontece rápido demais e o bebê já está cheio de adrenalina no corpo. Fica super mega cansado e parece até inconsolável. Demora demais para adormecer.
  2. Associação de uma condição com a hora do sono. E essa “condição” não continua por todo o momento do sono (chupeta, movimento, peito, corpo da mãe ou do pai e a lista também segue!!).
  3. Problemas com o ciclo circadiano. É o relógio interno que todos nós temos e o bebê está desenvolvendo. Esse relógio interno pode desestabilizar por mudanças no ritmo de amamentação ou sonecas que eram naturais para o bebê (alguma viagem, escolinha ou creche, mudança de cuidador e etc…).

 

Sabe o que mais?! Os estudos mostram que não, esses problemas NÃO se resolvem sozinhos com o tempo. Se não forem identificados e guiados de uma forma melhor, podem se agravar na primeira infância e ir até vida adulta.

Mas por que essas dificuldades são tão comuns?! Eu acredito que é porque nós, pais e mães, temos a pressão da sociedade de que o nosso papel é automaticamente adquirido quando o bebê nasce.

Como se fosse um botão ou um DNA que se revela quando pegamos nosso bebezinho nos braços pela primeira vez: nossa! Agora temos todo o conhecimento que precisamos para criar um bebê saudável e feliz! #sqn

A verdade é que ninguém nasce sabendo como ser pai e mãe. Eu mesmo estou aprendendo cada dia mais sobre disciplina positiva. Até pouco tempo não sabia nada sobre isso, mas buscar o conhecimento me deu mais poder de decisão.

Que tal deixar de lado essa ideia boba de que você “tinha que nascer sabendo” ser a mãe perfeita e buscar conhecimento seguro sobre como acontece o desenvolvimento do bebê, estimulando naturalmente hábitos de sono saudáveis?!

Você já tem acesso aos arquivos do soninho?! Lá tem muita informação segura que pode ajudar você a proteger seu bebê e se sentir mais confiante!

Clica aqui, é FREE!